quarta-feira, 15 de junho de 2011

E novamente as patroas são vilãs

Acabei de ler uma reportagem na Exame .com. E mais uma vez colocaram a nossa "classe patrona "como cruel. Acho que os jornalistas não percebem o efeito dominó de uma trabalhadora de classe média, que não tem com quem deixar seus filhos. Reduzem as patroas à classe de madames, na qual a opção de oferecer um emprego doméstico é apenas um capricho.

Por isso, tenho esse blog. Aqui é a vez da nossa voz. Por que não há nada cruel em oferecer um emprego em que se paga em carteira assinada, férias, transporte, comida, INSS, para que assim possamos também fazer a nossa parte no mercado de trabalho, e sustentar financeiramente a nossa família. É uma relação de emprego, de acordo com a especialização. Isso não é mercado de trabalho?

A reportagem está aí. Tendenciosa mesmo. É uma pena que não haja imparcialidade dessa realidade nas reportagens que encontro. Veja aqui.

Um comentário:

Amanda Pinheiro disse...

Oi Maria Luiza, gostei desse post. Trabalho no pgm Sala de Notícias Debate, do Canal Futura, e na próxima terça vamos discutir o tema do emprego doméstico ao vivo. Queria te propôr gravar um depoimento pra gente, pela sua webcam mesmo, para postá-lo na nossa fanpage no Facebook e levá-lo ao ar para a discussão dos convidados. Você toparia? Entre em contato com a gente por favor assim que você puder. Meu telefone na redação é 21 3232-8053. Obrigada. Amanda

Ocorreu um erro neste gadget