sábado, 11 de fevereiro de 2012

Revolta com Bilhete Único

Parece amor: que seja eterno enquanto dure.  Falei tão bem do Bilhete Único o ano passado e agora estou aqui revoltada!!!  Desde outubro, venho notando que o débito que é feito no bilhete que recarrego de minha empregada é integral aos valores das passagens.

A grande promessa do Bilhete Único era debitar o valor apenas de uma passagem,  numa mesma viagem com vários ônibus, sejam eles municipaisl ou intermunicipais, no período de duas horas e meia em que são pegos os transportes pelo trabalhador. E isto não está acontecendo.

Outro problema é que os postos de recarga do Bilhete Único são lotados, filas enormes. Não encontro mais bancas ou lojas que façam a recarga. Muitas vezes, acabei dando em dinheiro o valor da passagem, mas sei que não é o ideal. O empregador deve fornecer o vale transporte ao empregado doméstico, e não dinheiro.

Mas fazer essa recarga se o sistema anda falho?? Qual a vantagem de eu enfrentar um fila para carregar o cartão, no qual vai ser debitados o valor cheio das passagens?

Liguei para a Central de Atendimento para reclamar e disseram que deve ser o intervalo entre os onibus que minha empregada pega é maior que duas horas e meia. E não é. Da minha casa até a Central, onde minha empregada pega o segundo onibus até a casa dela, com certeza, não demora mais de duas horas e meia.

O que fazer, então? Reclamar de novo!!  Estou revoltada com serviços vendidos como promessas de melhoria, mas que na verdade não ajudam em nada, e neste caso somente atrapalham. Essa semana, nova reclamação, nova luta. Haja paciência!!!

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget