segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A Dona Patroa que não é tão patroa


Desde maio desde ano, deixei eu, que criei este blog Dona Patroa, de ser tão patroa. Não foi por causa da PEC das Domésticas, ao contrário do que muitos podem pensar. Foi devido a minha situação particular mesmo. Precisei cortar os gastos, pois meu orçamento realmente estava mais complicado. Um divórcio saindo do forno faz dessas coisas.

Imagem retirada do http://direitostrabalhistas.blogspot.com.br
Com dois filhos adolescentes, estava na hora de eu começar uma nova vida, e ela incluiu, principalmente, viver sem uma empregada morando em casa. Logo no primeiro mês, a agitação das novas atividades domésticas me fizeram perder  dois quilos. Não, não foi bom não. Eu sou uma pessoa magra, sempre tive a tendência a emagrecer, ou melhor, a perder o apetite em momentos de tensão, mudanças, etc. Dois quilos a menos me deixam com o ar ainda mais doente. Vocês pensam que mulheres magras não tem problemas de peso e estão felizes com o seu "shape"?  Essa não é a minha realidade.  Várias vezes me frustei experimentando vestidos com lindos decotes que pediam corpichos com curvas bem definidas.

Bom, voltando ao assunto sério, o que quero dizer é que tive que me replanejar, me reprogramar, me repaginar. Eu praticamente fazia trabalho doméstico apenas nos fins de semana. Afinal foram 14 anos de empregadora doméstica, logo, as novas atividades diárias tiveram  impacto na administração do meu tempo e também na parte física, ou vocês acham que atividade doméstica não gasta calorias?
Houve vantagem nisso? Pode parecer que não, mas sim, houve. Não tem nada a ver com a perda de peso e sim com saber o que é essencial na sua vida. O que é essencial na sua vida, com certeza, vai desde o lado afetivo, que é algo intangível e fornece o  equilíbrio emocional, ao lado financeiro, este do equilíbiro tangível e quanto mais prático e real, melhor.

De lá para cá, eu aprendi a me programar, a planejar ainda melhor a minha vida doméstica.  Cinco meses depois, voltei ao meu peso e estou mais organizada. Adotei novos hábitos e objetivos. A vantagem da vida doméstica, digamos, mais ativa é que passei a ter um controle melhor dos gastos da casa, do consumo dos mantimentos. Saber quanto é necessário gastar de desinfetante, de amaciante,  me deu outra dimensão de seus gastos e economia do lar.

Agora tenho uma faxineira que vem de quinze em quinze dias, as vezes um pouco mais, as vezes um pouco menos, e me ajuda em coisas que não dou conta.





Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget